Ódio a Paulo Freire

d03877ac-0dc8-4c15-b45b-29e67a068acc

Intelectual brasileiro mais respeitado internacionalmente, Paulo Freire ainda é pouco conhecido mesmo entre os professores brasileiros. Sua obra ”Pedagogia do Oprimido” é a segunda mais citada entre os artigos sobre Educação escritos em inglês.

Contudo, em suas teorias conspiratórias, Bolsonaro, Olavo de Carvalho, o novo ministro da Educação, Ricardo Vélez, e os fiéis seguidores dos ideólogos da ultradireita tupiniquim o tratam como responsável pela “doutrinação marxista” nas escolas. Fossem minimamente sérios, guiariam-se por pesquisas e não por teses malucas difundidas no mundo da Internet.

As escolas com melhores resultados, incluindo instituições frequentadas pela elite nacional, se inspiram na obra de Freire. Entre os seus legados, talvez o mais importante seja perceber o educando como sujeito da própria aprendizagem, partindo dos seus saberes e vivências reais, para a construção de novos conhecimentos.

Aprender, em Freire, passa a fazer sentido e leva o estudante a compreender seu papel nas transformações sociais que se mostram necessárias. Isto certamente incomoda a quem quer perpetuar desigualdades e acentuar processos de exploração dos indivíduos.

Muitos dos que reproduzem a demonização do pensamento de Paulo Freire sequer tiveram contato com um livro seu e, caso tivessem, não suportariam lê-lo. Compreendê-lo não está ao alcance de quem padece da ausência de empatia.

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s